O Axolotle (do náuatle axolotl) (Ambystoma mexicanum), também conhecido como Axolote, é uma espécie de salamandra que não se desenvolve na fase de larva. É um exemplo de animal neoténico, pois conserva durante toda a vida brânquias externas, uma característica do estado larval.    Não gosta de água movimentada, com grande fluxo, mas, precisa de filtragem de boa qualidade e sifonagem frequente, já que sujam bastante a água com detritos.   

Temperaturas acima de 23ºC podem estressá-los e estes pararem de se alimentar devido à temperatura.   Substrato indicado é extremamente fino ou então bem grosso (cascalho grosso), pois, ele pode abocanhar e acabar engolindo substrato e acabar adoecendo (a areia extremamente fina, passa pelo trato intestinal sem problemas).

Nome científico:Ambystoma mexicanum (Shaw e Noddler, 1798)   Família: Ambystomatidae   Origem: México   Sociabilidade: sozinho ou grupos   pH: 6.5 – 8.0   Temperatura: 16 – 22ºC   Dureza da água: mole   Expectativa de vida: Tamanho máximo: 15 a 30 cm

Alimentação: Axolotes são genuinamente carnívoros, por esse motivo devemos proporcionar uma dieta que atenda suas necessidades nutricionais. O alimento deve ter tamanho suficiente para ser engolido inteiro, se for grande demais o Axolote simplesmente perderá o interesse soltando o alimento. Por não possui dentes cortantes devemos oferecer alimentos macios e de fácil aceitação. Alimentos como blood worms vivo ou congelado, minhocas californianas vivas e artêmia salina viva são tolerados. E comem em cativeiro rações específicas para a espécie. Blood worms congelado são aceitos, mesmo indivíduos maiores adoram esse alimento. Minhocas da Califórnia criadas em casa previamente picadas são bem aceitas. O interessante é que mesmo a minhoca cortada continua a se mover sendo um grande atrativo para o Axolote. Rações de ótima qualidade para carnívoros podem ser tentadas, sendo muito importante que afundem. Basicamente o Axolote é um predador bentônico, prefere sempre a alimentação no fundo.

Tamanho mínimo de aquário: O tamanho do aquário para cada animal é de cerca de 60 litros, comunitários de 200 litros.  

Reprodução: Os machos são identificáveis apenas na época de reprodução pela presença de cloacas muito mais pronunciadas e de aspecto redondo.   Ao contrário do que ocorre com seus parentes próximos, como sapos e rãs, que passam a viver na terra quando deixam as formas larvais, os Axolotes permanecem na água por toda a vida. O seu único habitat natural consiste dos lagos próximos da Cidade do México, em especial o lago Xochimilco e o lago Chignahuapan, este último no estado de Puebla. Atualmente, no lago Chignahuapan, são raramente encontrados. Isto se deve à predação dos seus ovos por espécies não autóctones introduzidas pelo homem. Além disso, a capacidade de regeneração do axolote também traz alguns problemas, uma vez que em certas zonas do México é apreciado em caldos e pela medicina naturista (como vitamínico).  

A espécie é intrigante, haja vista sua regeneração expressiva, apesar de sua alta complexidade em relação a outros seres com elevado potencial regenerativo, como esponjas, planárias e estrela-do-mar. O Axolote é capaz de regenerar, por meio de diferenciação celular, membros inteiros, que são constituídos por estruturas não comumente regeneradas, como nervos, musculatura, ossos e vasos sanguíneos. É capaz ainda de reparar completamente metade de deu coração ou cérebro. Tais propriedades são frequentemente analisadas em laboratório.

Axalote Leucístico

Estas salamandras apresentam sua coloração de forma vívida apenas quando mantidos em ambiente ideal, salamandras em situação estressante (baterias de lojas, logo após o transporte, etc) podem apresentar coloração muito pálida, que é facilmente revertida ao ser transferido para um local com parâmetros e necessidades adequadas à espécie. É extremamente importante o monitoramento dos parâmetros da água, para isto são recomendados os testes periódicos de pH, GH, KH, Amônia, Nitrito e Nitrato. Existem produtos que testam certos parâmetros constantemente, sem que o aquarista necessite fazê-los a toda hora e que permitem um monitoramento 24 horas.

Igualmente importante é a manutenção constante da temperatura da água para evitar quedas bruscas que podem levar à debilitação do sistema imunológico do animal e ao surgimento de doenças. Esta manutenção é atingida com o auxílio de aquecedores e/ou termostatos – sendo  os últimos mais recomendados, por possuírem um mecanismo que controla a temperatura evitando assim o aquecimento excessivo da água do aquário.